Central Data Catalog

Citation Information

Type Working Paper
Title Aleitamento Matereno Exclusivo na Cidade de Praia: Praticas e Conhecimentos Maternos
Author(s)
Publication (Day/Month/Year) 2014
URL http://www.portaldoconhecimento.gov.cv/handle/10961/4037
Abstract
O aleitamento materno tem sido recomendado pela literatura científica especializada como caminho óptimo para se alimentar crianças nos diferentes contextos onde residem, com benefícios atribuídos a esta prática, que podem persistir para além da infância. O presente estudo volta-se ao aleitamento materno exclusivo nos primeiros seis meses de vida, com o objectivo geral de descrever essa prática junto das mães utentes dos centros de saúde da cidade da Praia, Ilha de Santiago, país Cabo Verde, bem como o conhecimento materno sobre aspectos relativos à promoção da amamentação exclusiva na referida faixa etária. Trata-se de um estudo epidemiológico, transversal e descritivo, envolvendo mães das crianças incluídas no estudo. A amostra foi constituída por 113 mães de crianças inscritas nos seis centros de saúde da referida cidade e a seleção das participantes deu-se a partir do método de amostragem não probabilística por conveniência. Procedeu-se à análise descritiva dos dados, com cálculo de frequências e percentagens para cada item do questionário e média, desvio padrão e mediana para as variáveis numéricas. A presença ou ausência de associação entre aleitamento materno exclusivo e cada uma das variáveis independentes foi investigada, com a sua significância avaliada pelo teste qui-quadrado. Os efeitos foram considerados estatisticamente significantes quando valor de p<0,05 e Odds Ratio com intervalo de confiança de 95%. Também, a correlação entre a prática de aleitamento materno exclusivo e a situação quanto à mediana de acertos maternos sobre amamentação foi verificada, sendo classificados em três níveis: bom (= 75%), regular (= 50% <75%) e ruim (< 50%). Para a análise das respostas às questões abertas, foi empregue o método de análise de conteúdo, seguindo o modelo instrumental de abordagem quantitativa. Os resultados mostraram que, do total das crianças, 78 (69,0%) estavam em aleitamento materno exclusivo, 33 (29,2%) em aleitamento materno e duas (1,8%) estavam completamente desmamadas. Aos seis meses, apenas sete (38,9%) estavam em aleitamento materno exclusivo. Os fatores que se associaram à amamentação exclusiva foram: não ser o primeiro filho, não usar beberão e a mãe não ser adolescente. Considerando as 26 questões relativas aos conhecimentos maternos sobre amamentação, houve considerável variação de acertos por mãe, sendo que o escore acima do mediano mais do que duplicou a chance de amamentação exclusiva. Os achados deste estudo reforçam a propriedade de se aprimorar, no âmbito dos serviços de saúde, o investimento em ações educativas, ao lado de demais acções de diagnóstico, protecção, apoio e promoção do aleitamento materno exclusivo.

Related studies

»